Memórias

 

 

dia_dos_avos

Escrito por Naiane Nara

O entardecer traz o manto da noite mais uma vez, sem dar trégua ao calor. O tempo abafado me faz ansiar por chuva. A garganta seca anseia por falar, mas não tenho quem me ouça, então quedo-me a observar o horizonte em transe, tentando não pensar em nada. Não pedirei água, ainda não. Quero evitar os olhares de compaixão e pena dirigidos as minhas rugas, minha idade deveria inspirar respeito e não dó, mas por causa do abandono, o que me resta? Apenas engolir a saliva amargamente e me ater ao ferro da minha alma a fim de que não me permita chorar. Basta de lágrimas, elas não mudarão nada.

Continuar lendo “Memórias”

Elizabeth Regina

Elizabeth_I_Rainbow_Portrait (1)

Escrito por Naiane Nara

 

Anos depois daqueles acontecimentos, eis que estou parada, quase sem respirar, quedada a tentar estancar a dor. Pensei ser forte, pensei ter superado os acontecimentos do meu passado, porém vejo que não é verdade. Se algo tão pequeno e simples pôde fazer sangrar novamente uma ferida profunda, é por que essa ferida jamais foi cicatrizada realmente.

Nunca houve um fim, nem haverá; essa é a maldição da minha família.

Jamais poderá imaginar pelo que passei para ter essa coroa cingindo a minha fronte. Quantas boas pessoas morreram, quão perto da morte eu mesma fiquei. Tive que tornar-me ferro, ou não sobreviveria a este mundo.

Não só sobrevivi, como venci. Sento no trono dos meus ancestrais, governo o meu país sem precisar ter me acorrentado a essa instituição horrenda a que chamam casamento.

Mas bastou um pedido para deixar a poderosa Rainha em prantos, sangrando por dentro dia e noite. O fato de ter partido de alguém que amo, pouca coisa que restou do que posso chamar de família, torna tudo pior.

Encaro o rolo que contém o pedido ainda sem acreditar: como meu querido primo, que muitos dizem ser meu irmão, pôde propor-me uma zombaria dessas?

Meu primo Henrique, Barão de Hunsdon, a quem confiei tantas missões e que sempre fora bem sucedido para mim… Solicita um dos títulos de nosso avô em seu nome, já que não posso ser considerada uma herdeira direta.

Conde de Wiltishire.

Nenhum problema se encontra em fornecer um novo título a meu primo – ele é meu enviado em difíceis missões, sejam no campo de batalha ou diplomáticas e sempre tem uma vitória a me oferecer quando retorna – mas por Deus, pelos Santos, qualquer título menos este.

Qualquer riqueza menos essa, não esse cargo que custou o sangue da minha mãe.

Continuar lendo “Elizabeth Regina”

Meu reflexo em mim

amigas

Inspirado no música Mi reflejo – Christina Aguilera

 Escrito por Naiane Nara

Ando pelas ruas, olho as pessoas, será que elas escolheram as suas próprias vidas? Só eu fui arrastada para algo que não queria? Todos dizem que posso escolher ser diferente.

Escolhas, escolhas.

Mas estou me adiantando.

Meu nome é Bianca, tenho 19 anos. Estou a quinze dias de completar 20 primaveras e me sinto como uma velhinha de oitenta.

Não é fácil viver, especialmente quando se é diferente.

Sempre nas proximidades do meu aniversário fico nostálgica. Penso em meus erros, acertos, me julgo como nem o mais impiedoso tribunal faria. Me arrependo de muitas coisas e me alegro com outras tantas.

Mas sempre estive só. E nesse aniversário tenho alguém, que no último ano enfrentou todas as batalhas possíves comigo, sempre sorrindo, sem se deixar abater. Acho que estou apaixonada, e isso me amedronta intensamente. Não quero que nada de ruim aconteça. Mas vai acontecer. Eu sei.

Continuar lendo “Meu reflexo em mim”